top of page

Quando o árido vira arte


Coleção Árida I Art Wall Quadros


Árido, seco, áspero, estéril.


O desafio lançado às fotógrafas da Art Wall era de criar uma coleção inspirada no outono/inverno, naquilo que morre e se transforma em outra vida.


Nesta perspectiva artística, a morte é eternizada em um novo olhar poético, onde o visitante é convidado a rever o que é morto, velho, obsoleto, dispensável, com outro olhar.


A floresta que perde suas folhas, o oco das árvores, a flor que perde sua vivacidade, o mecanismo de um velho carro enferrujado, tudo vira arte.


O árido aqui torna-se sinônimo de fértil. Em um campo vazio, há espaço para se criar.



A Concepção Artística


A série 'Árida' é uma coleção que te convida a rever seus valores de conceitos como velho e obsoleto. Afinal, tudo pode ser transfigurado esteticamente. Aqui você irá encontrar fotografias em preto e branco, de flores mortas e envelhecidas, com toda a sua textura e caráter desafiadores.


A sensação persistente do fim e a tensão da morte inevitável são os principais medos humanos inatos. O tema nos acompanha não apenas na morte física, mas nas pequenas mortes que sofremos ao longo de nossas histórias. São tantas perdas, tantas mortes cotidianas que a sabedoria está em transformá-las em uma nova experiência de vida.




Na história da arte, as imagens que transmitem o conceito de morte carregam em si o profundo desejo de compreender o círculo completo da vida. Muitas das imagens da arte da morte foram criadas com o único propósito de repouso e reflexão sobre a própria vida, como impulso criador.


Durante o período medieval, eram extremamente populares as pinturas vanitas, uma categoria de obras de arte simbólicas, que normalmente tomam forma como pinturas elaboradas de natureza morta. Em várias culturas, a morte é celebrada com festividades para uma nova vida a ser vivida.




Coleção Árida – Renascer em Poesia


“A melhor terra para semear e fazer crescer algo novo outra vez está no fundo. Nesse sentido, chegar ao fundo do poço, apesar de extremamente doloroso, também é um terreno para semear.”

Esta frase da escritora Clarissa Pinkola Estés revela um pouco da concepção da Coleção Árida. As imagens desta coletânea foram concebidas por mim, Malu Machado e pelas fotógrafas Vivi Godinho e Cicéia Almeida. Em ‘Árida’, as fotografias captadas no inverno (morte, introspecção), ganham um olhar de vitalidade transformada. Algo que morre para renascer de outra forma.


Confesso que foi desafiador construir uma visão moderna de um tema tão arquetípico. Ao mesmo tempo que o fazer artístico mexeu também com nossas emoções de vida - morte - vida, precisávamos transformar o que captávamos em uma arte que refletisse esse renascimento.

O resultado você pode conferir aqui mesmo, em nossa Galeria de Arte Virtual. Conta para mim. Com qual imagem você mais se identifica?








Confira abaixo o video de lançamento da Coleção Árida





Oiii! Muito prazer em te ter por aqui. Eu sou Malu Machado, jornalista, fotógrafa e co-fundadora da Art Wall Quadros.

Neste artigo eu revelo para vocês como foi a crianção da nossa Coleção Árida. Da concepção ao resultado final.

Espero que goste.

Boa leitura!

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Assine nossa Newsletter

Receba em seu email dicas de arte e de bem estar para o seu lar

Email enviado!

bottom of page