top of page

Como cuidar de Orquídeas?

Ganhei uma Orquídea de presente, e agora?


Olá, amigos, tudo bem? Falaremos hoje sobre as orquídeas, uma espécie de planta que apresenta muita variedade de espécies, formas, cores e tamanhos e, por isso, são muito utilizadas para decoração de ambientes internos. Gostou do tema? Ficou curioso? Então, vamos ao texto conferir as informações e dicas que separei para você!


Imagem de Pexels.com


Apesar de ser uma planta de fácil cultivo, percebo muitas delas mal cuidadas por aí.


Existem, aproximadamente, vinte e cinco mil espécies de orquídeas. Elas estão espalhadas por quase todos os continentes do mundo e, por isso, cada espécie está adaptada a uma condição diferente de água, temperatura, intensidade de luz solar, etc. Então, é impossível ter uma receita única de cultivo que se adapta a todas essas espécies.


Falaremos aqui somente das 3 espécies mais comuns que encontramos em nosso dia a dia. São elas: Phalaenopsis, Dendrobium e Cymbidium.


Aproximadamente 70% das orquídeas são epítitas, ou seja, são plantas que vivem em seu habitat natural em galhos de árvores nas florestas mundo afora.


Das 3 espécies citadas acima, a Phalaenopsis e a Dendrobium são epífitas. Suas raízes ficam expostas e se agarram nos galhos e troncos das árvores. Existe um fungo muito importante que vive nessas raízes, chamado de micorriza, que auxilia na decomposição de toda matéria orgânica que passa por ali e disponibiliza os nutrientes que a planta precisa.


As epífitas não gostam de muita umidade em suas raízes, por isso se fizermos o plantio no solo ou em vasos com terra, as raízes vão apodrecer causando a morte da planta.


É muito comum encontrar orquídeas à venda em supermercados e como sua beleza é indiscutível acaba sendo uma planta muito utilizada para presentear ou decorar ambientes internos de nossas casas. Quem nunca comprou uma orquídea para dar de presente no dia das mães?



A água deve passar pelas raízes e o excesso deve sair, por isso, quando compramos um vasinho de orquídea dessa espécie percebemos que não há terra e sim umas casquinhas de pinus para a fixação das raízes.


OBS: Apesar de estarem agarradas nos troncos e galhos, as orquídeas não são parasitas e não prejudicam seu hospedeiro!


A luz solar também deve ser indireta, filtrada pela copa da árvore que a hospeda.


Imagens de Unsplash.com



A Cymbidium já é uma planta terrestre e não deve ficar com as raízes expostas como as epífitas.

Neste caso, devemos plantar em vasos ou no solo com um substrato rico em matéria orgânica para que a planta possa se desenvolver plenamente.


Coloque o vaso de preferência em local onde recebe o sol da manhã para ela ficar feliz.


1 - A principal dica é identificar qual orquídea temos em mãos: epífitas ou terrestres.


2 – Encontrar um local onde as condições sejam mais próximas as condições do seu habitat natural.


3 – Depois que a florada terminar ache uma árvore para fixar a orquídea, se ela for uma epífita, tentando imitar as condições ideais de seu habitat natural e aí, todo ano quando o frio chegar ela vai florescer.


4 – Se for uma espécie terrestre, ela vai continuar crescendo e vai precisar de mais espaço e adubação, por isso será necessário a troca de vaso por um maior ao longo do tempo.


Se você precisar de ajuda para encontrar o local ideal para cultivar as suas orquídeas entre em contato conosco, teremos o maior prazer em te atender.


Grande abraço,


Imagem de Unsplash.com


Olá, eu sou André Cenak, Paisagista, proprietário do Jardim Salvaterra Paisagismo e escritor aqui na Art Wall. Hoje continuamos a nossa conversa porém sobre como cuidar de ORQUÍDEAS!


Os artigos publicados neste blog expõem o pensamento de seus autores sobre um determinado tema de interesse público, sendo da responsabilidade de cada autor o conteúdo aqui veiculado.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Assine nossa Newsletter

Receba em seu email dicas de arte e de bem estar para o seu lar

Email enviado!

bottom of page