top of page

3 conceitos-chaves para o desenvolvimento sustentável

Atualizado: 20 de abr. de 2023



Por Daniela Doms I Pesquisadora, Professora e Consultora em Sustentabilidade Corporativa



Sustentabilidade, Economia Circular e Consumo Consciente são os conceitos-chaves para o Desenvolvimento Sustentável.


Nas últimas cinco décadas, de acordo com o relatório “Planeta Vivo”, de 2018, da ONG WWF, a humanidade perdeu cerca de 60% da vida selvagem, colocando assim em risco a biodiversidade planetária. A destruição do meio ambiente e, consequentemente, a perda de habitats, ameaçam ecossistemas terrestres e marinhos, provocando desequilíbrios ecológicos que impactam sobre toda a vida na Terra.


No Brasil, por exemplo, nos últimos cinquenta anos foram destruídos mais de 20% da Floresta Amazônica, e o bioma Cerrado é hoje uma das maiores frentes de desmatamento do mundo (WWF, 2018). Esta realidade impacta na sobrevivência da vida selvagem planetária, mas não só, nós seres humanos também somos parte desta teia da vida e, consequentemente, também sofreremos os efeitos da destruição ambiental.


O conceito de sustentabilidade foi cunhado pela norueguesa Gro Brundtland, em 1987, no Relatório Nosso Futuro Comum, sendo então compreendido como o uso racional dos recursos naturais para que possam suprir nossas necessidades atuais, sem comprometê-los para as gerações futuras. Deste conceito também parte a ideia do desenvolvimento sustentável como um projeto político e social da humanidade.


Imagem de Iris Luis Bustamante por Pixabay



O desenvolvimento sustentável exige equilíbrio ambiental, social e econômico, desta maneira governos, empresas e cidadãos precisam se comprometer com a sustentabilidade para que através dela possamos atingir, de fato, o desenvolvimento equilibrado, capaz de resistir e se adaptar às mudanças (Elkington, 1994).


Mas, para tanto, é preciso que – além da atuação forte de governos responsáveis e comprometidos com a sociedade – nós, enquanto indivíduos, também ampliemos nossa consciência, repensando nosso consumo e nossas atitudes como cidadãos. Nesse contexto, surge o termo “consumo consciente”.


O ato de consumir, seja um produto ou serviço, traz consigo diversas consequências que podem ser boas ou não. Daí a importância de repensarmos nossos hábitos de consumo, estamos contribuindo com a sustentabilidade ou contribuindo para a destruição do meio ambiente?


Por trás de todo produto ou serviço há uma cadeia produtiva que envolve recursos naturais, processos, mão de obra, etc. Mas, geralmente, não nos atentamos a este fato, pois o que nos interessa é o produto acabado, aquele que vai satisfazer as nossas necessidades individuais, no entanto, sem refletir sobre os processos de fabricação, podemos estar contribuindo para o colapso ambiental, impactando negativamente sobre as condições de vida das gerações futuras.




Pensar no impacto ambiental do nosso consumo também é consumir de modo sustentável, atuando com mais consciência e se diferenciando do que chamamos de consumismo, um paradigma comportamental que busca satisfação rápida e descomprometida.


O consumidor consciente tem um grande poder de mudança em suas mãos, forçando que as empresas atuem de maneira responsável, modificando seus processos produtivos e encontrando matérias primas alternativas, cujo impacto ambiental é reduzido, transformando assim o consumo em um ato de práticas sustentáveis.


Sustentabilidade e Consumo Consciente são também importantes passos que a sociedade dá para uma outra maneira de produzir, a chamada Economia Circular, que agrega conceitos de diversas áreas para estabelecer um conceito baseado na inteligência da natureza, ou seja, na inteligência de um organismo vivo (o planeta Terra) que, de modo cíclico, se gere e se autorregula.

Assim, a economia circular quebra com a ideia linear de produção para incorporar novamente ao processo produtivo o que antes era descarte, ou seja, reutilizando resíduos dão continuidade à produção, desenvolvendo novos produtos de maneira sustentável.


Ainda estamos longe do objetivo de alcançar uma sociedade sustentável, mas já temos tecnologias capazes de nos permitir atingir este objetivo, temos também empresas visionárias, que estão atuando de maneira adequada, consciente e com responsabilidade socioambiental, como a Art Wall, por exemplo, que se preocupa com o impacto de sua produção e busca diminuir as externalidades negativas desse processo.


Contribuir com o equilíbrio ecológico é, portanto, contribuir com a continuidade das condições de vida na Terra, é permitir que nossos filhos e netos possam usufruir das maravilhas da natureza, de um mundo mais justo e com abundância de recursos para todos, esse deve ser um compromisso de governos, empresas e de todos os cidadãos. Nós podemos e vamos fazer isso!



Os artigos publicados neste blog expõem o pensamento de seus autores sobre um determinado tema de interesse público, sendo da responsabilidade de cada autor o conteúdo aqui veiculado.




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


Assine nossa Newsletter

Receba em seu email dicas de arte e de bem estar para o seu lar

Email enviado!

bottom of page