top of page

Teoria do apego e a importância dos sorrisos

Atualizado: 20 de abr. de 2023


Sorria e seja mais leve


Por Letícia Machado I Psicóloga


Photo by Edo Nugroho on Unsplash



Você costuma sorrir para tudo e todos? Ou é do tipo mais seletivo? Prefere aquele sorriso largo ou mais discreto?


O sorriso tem várias formas e significados. Ele pode solucionar uma briga ou começar uma. Um ato simples e praticamente espontâneo para algumas pessoas é trabalhoso e raro para outras.

O sorriso pode aproximar as pessoas ou distanciar. Provavelmente você já deve ter vivido alguma situação em sua vida onde o sorriso de uma ou várias pessoas fez com que você sentisse vontade de permanecer no ambiente ou foi o motivo de querer se afastar.


E quando falamos no Bem-estar de uma casa faz toda diferença o clima emocional dessa casa não é mesmo?


Uma das causas que podemos incluir para pensarmos na forma como as nossas relações familiares e de amizades acontecem, englobam vários elementos dentro dessa questão, como por exemplo:


Ø A história de vida de cada morador


Ø A forma de se expressar no mundo de cada pessoa dessa casa.


Ø A forma como cada morador se relaciona socialmente e isso irá incluir os diferentes tipos de expressar afeto.


Sabe quando as pessoas pensam ou dizem assim: Ah eu me sinto tão bem na companhia da Teresa, mas com o Pedro é muito desafiador, ele me cansa.


Pois é? Mas porque será que isso acontece?


Foto de Alex Green no Pexels



As explicações podem ser várias e muitas delas terem coerência para você, mas hoje quero te contar sobre uma teoria que se estuda o vínculo, a Teoria do Apego, já ouviu falar?


Para criar a Teoria do Apego, John Bowlby buscou referências na Psicanálise, no Behaviorismo e na Etiologia, ele diz que a forma como expressamos nosso afeto e nos vinculamos ao outro fala da forma como recebemos afeto dos nossos cuidadores primários e a forma como eles se vinculam e assim perpassa de gerações a gerações (mas os reflexos positivos e negativos disso já é papo para outra hora).


Calma, calma, o autor também diz que esse padrão de afeto também sofrerá interferências do meio social e cultural ao longo da vida.


Mas, nesse momento é importante para prosseguirmos em nossa conversa que eu te conte um pouco dos diferentes tipos de apego.


Bowlby dividiu da seguinte forma com base em seus estudos:


Estilo de Apego: Seguro, Evitativo, Ansioso ou Desorganizado.




Apego Seguro

De forma muito sucinta, no Estilo de Apego Seguro estão as pessoas que se sentem confortáveis em expressar suas emoções, possuem facilidade em pedir ajuda, confia em si e nos outros, Ficam bom com a intimidade, têm noção de suas habilidades e possuem recursos emocionais para lidar com as pessoas.


Apego Evitativo

No Estilo de Apego Evitativo, estão as pessoas que não confiam que os outros estarão disponíveis para suas necessidades, possuem dificuldade em aceitar ajuda, buscam em seu dia a dia estratégias de racionalização em suas relações, costumam apresentar dificuldades em acessar ou nomear suas emoções.


Apego Ansioso

No Estilo de Apego Ansioso, fala das pessoas que tendem a apresentar uma ambivalência em suas formas de se relacionar com as outras pessoas, costumam ter baixa autoestima, tendência a alta demanda emocional e alto nível de expectativa. Facilidade para apresentar ansiedade e buscam construir um pensamento de recompensas em suas relações.


Apego Desorganizado

Já no Estilo de Apego Desorganizado, falamos das pessoas que possuem dificuldades de confiar em si e nos outros, costumam ter comportamentos contraditórios e dificuldade de organizar e/ou reconhecer suas emoções.


A partir desses estilos, estamos falando das diferentes formas de nos vincularmos as outras pessoas.


Foto de cottonbro no Pexels



Nessa altura você já deve estar me questionando: ok, Letícia, interessante isso, mas o que isso tem a ver com a forma do meu sorriso, se eu costumo sorrir ou não?


Aha! Essa é uma das reflexões (sim, sou daquelas pessoas que tenho várias reflexões no decorrer dos dias, a partir do que leio, escuto, penso e assim vou) que permeou minha mente nos últimos dias e escolhi trazer para conversarmos a respeito.


Se desejamos (eu estou imaginando que você também deseje isso, tá?) viver em uma casa onde tenhamos vontade de estar, de morar, de voltar após o dia de trabalho, passeio ou viagem; um bom lugar para descansar, para se estar com pessoas queridas e para nos divertirmos, nada mais justo buscarmos que esse ambiente aconteça em nossas vidas, concorda?


Ainda que esse não tenha sido o ambiente que você cresceu, mas se esse for o seu desejo, “mão na massa”!


E a forma como nos relacionamos com as pessoas fala da maneira que nos vinculamos e qual o significado que terão os sorrisos em nossas vidas e lugar que ele caberá ou não em nosso dia a dia.




A boa notícia é que, como humanos, somos totalmente capazes de nos modificarmos, nos reinventarmos ao longo das nossas vidas. Sim, sempre é tempo de incluirmos um novo hábito em nossas relações como por exemplo, ele: o sorriso.


Eu sei, temos muitos outros itens importantes para incluirmos nessa lista, como a escuta, o respeito ao outro, mas hoje vamos focar no sorriso, combinado?


Antes de nos despedirmos por hoje, quero te trazer alguns motivos mais específicos para você incluir o sorriso em suas formas de se expressar no mundo e em suas relações interpessoais:


Ø Provoca a empatia.


Ø Pode contribuir na redução do estresse e pressão arterial.


Ø Contribui para que você se sinta mais atraente.


Ø Contribui em sua longevidade.


Quando sorrimos o nosso cérebro entende que algo bom está acontecendo e, assim, libera endorfina o que gera uma sensação de bem-estar e de prazer em nosso corpo.


Essa é uma das razões inclusive porque nos sentimos bem e porque queremos repetir fazendo atividades que são prazerosas ao nosso sistema.


Agora me conta; esses são ou não são bons motivos para sorrirmos em nosso dia a dia e em nossas relações afetivas?


Seu sorriso tem demonstrado a emoção que você deseja?


Saber da Teoria do Apego, contribuiu para entender um pouco mais sobre a forma como você e as pessoas em sua volta se relacionam em casa ou no trabalho?


Que as flores e o frescor da primavera lhe tragam leveza e sorrisos,


Ótimo mês de outubro para gente,


Com carinho,


Letícia Machado


Foto de: Jupi Lu por Pixabay


Por Letícia Machado I Psicóloga Olá, sou Letícia Machado, Psicóloga, especialista em Psicologia do Envelhecimento e em Terapia EMDR, Personal Organizer, escritora aqui no Blog da Art Wall e hoje trago uma abordagem sobre a importância do sorriso em nossas vidas.

Boa leitura e Sorria!


Os artigos publicados neste blog expõem o pensamento de seus autores sobre um determinado tema de interesse público, sendo da responsabilidade de cada autor o conteúdo aqui veiculado.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Assine nossa Newsletter

Receba em seu email dicas de arte e de bem estar para o seu lar

Email enviado!

bottom of page