top of page

A sua casa fala sobre você

Atualizado: 20 de abr. de 2023

Fases da vida pedem novas escolhas


"Olhar para o externo é observar de fora o que está dentro de nós".

No texto da psicóloga Letícia Machado você vai refletir sobre como as diferentes fases da nossa vida se refletem no mundo exterior. Boa leitura!


 

Oi minha gente como vocês passaram o mês de março? Por aqui rolou aquela diversidade dentro da rotina, cada dia uma nova demanda, como toda fase na vida.

Iniciando abril com alegria pela chegada do outono, essa estação que eu adoro. E por aí? Hoje quero conversar contigo a respeito de um tema que tem surgido em meus pensamentos nos últimos tempos, espero que você curta.

Esse pensar surgiu de uma reflexão a respeito das fases da vida, da passagem do tempo que o nosso corpo nos oferta e nos convida a vivenciar.



Fases da vida e percepções diferentes

Claro, que cada um de nós vivencia cada fase de forma muito particular. Em alguns momentos nos identificamos com outra pessoa (podendo surgir uma relação de afeto inclusive) o que ainda assim, não será da mesma forma que você vivencia.

Outro ponto importante é que nem todas as pessoas também irão perceber essa passagem de tempo da mesma forma, ainda que as alterações fisiológicas, psicológicas e sociais estejam acontecendo.

Photo by Toa Heftiba on Unsplash



Atenção às mudanças

Quer ver um exemplo? Para quem exerce a maternidade ou a paternidade em sua vida. Todos vivenciando uma escolha em comum, mas a forma que cada um vivencia as fases do desenvolvimento humano da criança e do seu desenvolvimento enquanto cuidador, terão suas particularidades, não é mesmo? Ainda que as crianças estejam com a mesma idade cronológica.

Outro exemplo que me surge é quando estamos vivenciando algum momento de transição em nossas vidas, e talvez esse seja o seu caso. A chegada de uma nova fase em sua vida com a idade cronológica que você está ou que se aproxima, mudança de casa, de cidade, do momento familiar ou profissional, enfim, as opções são enormes.



Nova fase, novos projetos, novos desejos

E assim como nós tendemos a nos modificar com as mudanças de fase em nossas vidas (se assim nos permitirmos) nossa casa, o lugar físico em que moramos, também acaba sofrendo com essa mudança não é mesmo? E quando isso não acontece pode até mesmo gerar aquele estranhamento incômodo em algum momento. Já viveu isso?

Sabe aquele objeto que você vai trocando de lugar e não acha mais espaço para ele? Ou aquele objeto novo que você acaba de comprar especialmente para algum local na sua casa? (Aquele momento merchandising, que tal um quadro da galeria Art Wall?) As escolhas das cores, estilo (que pode ser no singular ou no plural), costumes que vão se modificando e assim a utilização dos espaços também e surge a necessidade de mudar o formato.



Pequenas mudanças cotidianas

Quando eu falo de mudança não são necessariamente projetos grandiosos, ok? Digo da mudança na funcionalidade no ambiente mesmo, e modificando os objetos, a forma de guardá-los que vá mais ao encontro com a sua fase atual já faz uma grande diferença (Já testou? Testa aí e me fala).

Pensando nisso, a reflexão que te proponho hoje é: A sua casa está tendo uma imagem que conversa com a fase que você está vivenciando em sua vida? Você tem se sentido abraçada por ela? Você está tendo vontade de ir para casa depois das atividades externas? Fica imaginando a hora que irá curtir aquele cantinho especial? Ela tem transmitido boas sensações a você?




Talvez agora você deva estar pensando: Eu hein? Mas afinal o que isso tem a ver com meu bem-estar emocional? E eu sem muita demora, te respondo. T- U-D-O.

O ambiente físico bem como as pessoas que mais convivemos serão parte das influências em nosso dia. Sendo assim, o formato disposto do ambiente físico irá influenciar em nossos comportamentos.



Psicologia Ambiental

Para trazer um pouco mais desse assunto dentro da Psicologia, escolhi uma abordagem tendo como base o pensamento da Psicologia Ambiental, que surgiu após o término da Segunda Guerra Mundial, com o intuito de reformular as cidades que estavam completamente destruídas em consideração o estado psicológico das pessoas.

De forma sucinta, a partir desse pensar da Psicologia Ambiental, busca-se trazer para os ambientes físicos elementos que conversem com os espaços sociais que o indivíduo exerce e já exerceu, onde busca ocupar os lugares e utilizar elementos que agregam no existencial e social de cada pessoa tanto no pessoal como no social.



Renovação e inspiração

Agora que já te trouxe um pouco (bem sucintamente tá?) desta preciosa relação entre a fase em que vivemos em nossa vida e a estrutura dos ambientes que ocupamos, eu volto a te perguntar: a forma como estão dispostos os ambientes, desde objetos, cores, estilo, entre outros elementos, estão te abraçando na fase que você vivencia em sua vida atual?

Quem sabe agora seja aquela boa hora de desapegar do que não encaixa mais, se programar para adquirir aquele item que fará diferença por aí trazendo funcionalidade e beleza ao seu ambiente e ao seu estado de espírito?

Ou talvez tenha chegado o momento de mudar a disposição do mobiliário, o estilo das suas roupas e de tudo que você utiliza.



Autoconhecimento

Olhar para o externo é observar de fora o que está dentro de nós. Para que assim você possa se reconhecer em seu espaço. O sentimento de pertencimento também passa pelo físico, pela estética.

Lembra do tom de voz de alguém e como influencia em seu humor? Ou talvez seja o seu que vem influenciando a todos? De forma que gera estresse, incômodo ou que acolhe?

Se pergunte sobre isso. Se for necessário, busque psicoterapia. O que não pode ser opção é ter sofrimento, ansiedade, estresse e tantos outros que gere conflito, tensão em seu convívio familiar, social e individual.

Photo by Jared Rice on Unsplash



“O aprendizado é mais eficaz quando se trata de um processo ativo, e não passivo”.

Kurt Lewin


Ótimo mês de Abril para você! Que assim como o Outono esse texto tenha despertado em você hoje um nova maneira de pensar. E que desse pensar venha uma pequena ação e assim traga a mudança e o renascimento que a natureza nos convida nessa época do ano.

Cuidemos com amor e respeito,

Até,

Por Letícia Machado I Psicóloga Olá, sou Letícia Machado, Psicóloga, especialista em Psicologia do Envelhecimento, Brainspoting, Terapia EMDR e Personal Organizer. Sou colaboradora aqui no Blog da Art Wall.


Os artigos publicados neste blog expõem o pensamento de seus autores sobre um determinado tema de interesse público, sendo da responsabilidade de cada autor o conteúdo aqui veiculado.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Assine nossa Newsletter

Receba em seu email dicas de arte e de bem estar para o seu lar

Email enviado!

bottom of page